Lembra-se?

Raul Rosa – Aljustrel

“Transportado numa viatura celular e chegado ao meu novo destino, ou seja à cadeia do Aljube, fui aí recebido no hall de entrada por um guarda prisional que através duma campainha chamou um outro colega que estava num dos pisos superiores e lhe ordenou, em tom provocatório, para vir buscar a nova mercadoria. Fácilmente compreendi que a mercadoria em referência, se tratava da minha pessoa.”

Raul Rosa – A minha prisão (PDF)