Centro de Documentação

Biografias

Cândido Alves Barja

Cândido Alves Barja

(Castro Verde, 24-04-1910 – Tarrafal, Ilha de Santiago, Cabo Verde, 26-09-1937)

Cândido Barja, filho de Francisco Alves Barja e de Maria do Rosário Alves, nasceu em Castro Verde, em 1910. Marinheiro, era primeiro atirador no navio Bartolomeu Dias, participou na Revolta dos Marinheiros, levantamento militar visando o derrube do Estado Novo realizado a 8 de setembro de 1936, organizado pela Organização Revolucionária da Armada (ORA), estrutura ligada ao Partido Comunista Português (PCP).

Será, como tal, entregue no mesmo dia à Polícia de Vigilância e Defesa do Estado (PVDE) pelas autoridades da Marinha, acusado de insubordinação e enviado para a Cadeia da Penitenciária de Lisboa.

É julgado no Tribunal Militar a 13 de outubro e condenado a cinco anos de pena de prisão maior celular, seguidos de dez anos de degredo. Embarcará para o Campo de Concertação do Tarrafal, em Cabo Verde, a 17 de outubro de 1936, no primeiro grupo de prisioneiros a ser enviado para o recém-constituído campo prisional.

Dadas as graves carências higiénicas, a generalização das mais variadas doenças, o trabalho forçado, os maus tratos e a tortura, Cândido Alves Barja acabaria por morrer a 26 de setembro de 1937 com 27 anos. Num espaço de apenas quatro dias, para além de Cândido Barja, morreriam no Tarrafal mais cinco presos.

Centro de Documentação do Museu do Aljube
Rua Augusto Rosa, 42 • 1100-059 Lisboa

Telefone: 215 818 538
Geral: 215 818 535
E-mail: odeteviola@egeac.pt

Horário: de terça a sexta, das 10h00 às 18h00 – encerra para almoço das 13h00 às 14h00.

Encerra às segundas.