Centro de Documentação

Biografias

Casimiro Júlio Ferreira

Casimiro Júlio Ferreira

(Lisboa, 4-02-1909 – Tarrafal, Ilha de Santiago, Cabo Verde, 23-09-1941)

Casimiro Júlio Ferreira, filho de Joaquim Júlio Ferreira e Elvira de Jesus Ferreira, nasceu em Lisboa em 1909, onde residia e trabalhava como funileiro.

Terá iniciado a militância política no início da década de 30, ligando-se ao Partido Comunista Português (PCP). Foi preso pela primeira vez em 1931, acusado de “andar a afixar manifestos comunistas”, nomeadamente prospetos de propaganda do jornal clandestino Avante!.

Embora a Polícia de Defesa Política e Social o tivesse considerado “um elemento sem categoria no meio comunista”, “um estranho a qualquer organização revolucionária” e até “um completo ignorante em assuntos comunistas”, e o restituísse à liberdade poucas semanas depois, Casimiro Júlio Ferreira participaria em Lisboa na preparação da greve geral revolucionária de 18 de janeiro de 1934.

É preso nesse mesmo dia após ter reunido em Xabregas com outros participantes no movimento para preparar ações e ter tido em sua posse engenhos explosivos que não chegaram a ser usados.

Em fevereiro de 1934 foi condenado pelo Tribunal Militar Especial a dez anos de degredo e prisão, seguindo, em setembro desse ano, para Angra do Heroísmo com destino à Fortaleza de São João Baptista.

Dois anos depois integrou o primeiro grupo de presos políticos do Campo de Concentração do Tarrafal, em Cabo Verde, ao ser transferido para o chamado “campo da morte lenta” em outubro de 1936.

É lá que virá a morrer no dia 23 de setembro 1941 com 32 anos.

Centro de Documentação do Museu do Aljube
Rua Augusto Rosa, 42 • 1100-059 Lisboa

Telefone: 215 818 538
Geral: 215 818 535
E-mail: odeteviola@egeac.pt

Horário: de terça a sexta, das 11h00 às 17h00 – encerra para almoço das 13h00 às 14h00.

Encerra às segundas.