Centro de Documentação

Biografias

Fernando Carvalho Giesteira

Fernando Carvalho Giesteira

(Salto, Montalegre 3-08-1955 – Lisboa, 25-04-1974)

Fernando Giesteira nasceu em 1955 em Salto, Montalegre, filho de Amândio Gomes Giesteira e Emília de Carvalho. Ainda jovem vai viver para Vreia de Jales, Vila Pouca de Aguiar, e em 1972 muda-se para Lisboa, onde trabalha à noite na boîte Cova da Onça como empregado de mesa. Terá sido depois de uma noite de trabalho que se junta às multidões que acompanhavam o desenrolar do golpe militar no dia 25 de abril de 1974.

No final do dia, uma multidão concentra-se em frente à sede da antiga Polícia Internacional e de Defesa do Estado (PIDE) que passara a designar-se por Direção-Geral de Segurança (DGS), exigindo a sua ocupação e rendição. A continuidade da polícia política estava prevista pela Junta de Salvação Nacional e pelo seu líder António de Spínola. Os agentes da DGS, recusando entregar-se, abriram fogo a partir das janelas do edifício sobre a multidão que se juntara na rua António Maria Cardoso, já o Presidente do Conselho, Marcelo Caetano, havia entregado o poder.

Entre os vários feridos e os quatro mortos estava Fernando Giesteira, com apenas 18 anos, o mais jovem dos mortos do dia 25 de abril. A identidade dos seus assassinos continua por conhecer.

A placa colocada por iniciativa cidadã em 1980 junto à sede da PIDE/DGS, ante a ausência de uma homenagem oficial e toponímica por parte dos poderes públicos às vítimas mortais no dia 25 de abril de 1974, constitui-se como uma das raras evocações da sua memória.

Centro de Documentação do Museu do Aljube
Rua Augusto Rosa, 42 • 1100-059 Lisboa

Telefone: 215 818 538
Geral: 215 818 535
E-mail: odeteviola@egeac.pt

Horário: de terça a sexta, das 10h00 às 18h00 – encerra para almoço das 13h00 às 14h00.

Encerra às segundas.