Centro de Documentação

Biografias

José Adelino dos Santos

José Adelino dos Santos_english_version

José Adelino dos Santos

(Santiago do Escoural, Montemor-o-Novo, 25-10-1912 – Montemor-o-Novo, 23-06-1958)

José Adelino dos Santos nasceu na freguesia de Santiago do Escoural, em Montemor-o-Novo. Filho de trabalhadores rurais seguiu a atividade dos pais, exercendo as funções de manajeiro. No início da década de 40 aderiu ao Partido Comunista Português (PCP).  Destacou-se na organização do partido em Montemor-o-Novo, na divulgação de imprensa clandestina, em atividades culturais, em ações reivindicativas pela subida de salários e melhorias das condições de vida e no apoio a familiares de presos políticos. Foi preso, pela primeira vez, em 1945 e esteve três meses nas prisões do Aljube e de Caxias. Voltou a estas duas prisões quando foi novamente detido em julho de 1949. Julgado em fevereiro de 1950, foi condenado a vinte meses de prisão em Peniche. No entanto, por terem sido aplicadas medidas de segurança, ficou em liberdade condicional até 2 de agosto de 1956.

José Adelino morreu em junho de 1958 na sequência de uma manifestação, da qual fora um dos organizadores, contra a fraude eleitoral, que tivera lugar semanas antes, e contra o custo de vida, em que eram ainda reivindicados melhores salários. Foi atingido na nuca por um tiro disparado da varanda do edifício da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, quando se contava entre os manifestantes que clamavam “Queremos trabalho e pão”.

O funeral, apesar da vigilância policial, teve grande participação popular e constituiu-se como ocasião de protesto contra a ditadura.

Centro de Documentação do Museu do Aljube
Rua Augusto Rosa, 42 • 1100-059 Lisboa

Telefone: 215 818 538
Geral: 215 818 535
E-mail: odeteviola@egeac.pt

Horário: de terça a sexta, das 10h00 às 18h00 – encerra para almoço das 13h00 às 14h00.

Encerra às segundas.