Já aconteceu

Maio de 68 – 50 anos depois em debate

19 de Maio de 2018 - 15h00

O que foi o Maio de 68? Revolução ou ilusão? Revolta juvenil contra uma Europa cinzenta, onde os chamados «anos dourados» do capitalismo abriam a porta ao consumismo irracional, ou irrupção de todo um imaginário subversivo, pleno de criatividade e de fantasia, libertário na sua essência? Talvez tenha sido tudo isto. Ou nada disto. Mas Maio 68 não foi só Maio, nem só 1968. Outros acontecimentos marcaram a época. Primavera de Praga, manifestações contra a intervenção militar no Vietname, operários e estudantes italianos nas ruas. Anos antes, já o movimento Provo tinha abalado a pacata Holanda e revoltas estudantis varriam as universidades norte-americanas. Beat generation e cultura hippie.

50 anos depois o que ficou? Para uns, nada! A Europa continua cinzenta, o capitalismo é aparentemente invencível (será mesmo?), o consumismo impera, alguns dos protagonistas principais renderam-se à política e ao pensamento dominantes. Para outros, apesar de tudo, ficou uma sociedade que nunca mais foi a mesma, sobretudo (ou apenas?) nas suas vertentes cultural e comportamental.

Para falar e debater estas questões:

Tomás Ibañéz, participante no Maio 68, professor jubilado de Psicologia Social da Universidade Autónoma de Barcelona, pensador heterodoxo do movimento libertário.

Miguel Serras Pereira, ensaísta, poeta, tradutor, colaborador da imprensa libertária.

“Sous les Pavés, la plage”

Organizado por: A Batalha, A Ideia – revista de cultura libertária, Barricada de Livros, Portal Anarquista.

Por favor confirme a sua presença para info@museudoaljube.pt.
Mais informações ligue (+351) 215 818 535.