Campo de Concentração do Tarrafal

23 Abril 2021
Aspecto geral da instalação provisória do campo de concentração. Autor desconhecido, 1937/38. DGPC

#Nestedia 23 de abril de 1936, foi publicado o Decreto-Lei n.º 26.539 que cria a “colónia penal para presos políticos e sociais no Tarrafal”, na ilha de Santiago em Cabo Verde.

Também conhecido como “Campo da morte lenta”, a sua localização tinha como objetivo afastar os mais “problemáticos” e perigosos resistentes, e com as duras condições do clima e das más condições de encarceramento, demonstrar que a repressão seria levada ao extremo (maus tratos, torturas, trabalhos forçados, alimentação escassa e falta de assistência médica).

Esmeraldo Pais, o médico de serviço do campo, afirmou mesmo que “não estou aqui para curar, mas para assinar certidões de óbito”.

O Campo de Concentração do Tarrafal começou a funcionar em 29 de outubro de 1936, recebendo os primeiros 152 presos políticos, muitos participantes no 18 de Janeiro de 1934 e na Revolta dos Marinheiros.

O campo foi encerrado em 1954, tendo por lá passado 340 presos, e destes, 34 ali morreram. Seria reaberto em 14 de abril de 1961, para receber presos políticos dos movimentos de libertação de Angola, Guiné-Bissau e Cabo-Verde. Os presos apenas seriam libertados a 1 de maio de 1974.

Atualidade

Agostinho Neto
#nestedia relembra pessoas e acontecimentos de resistência à ditadura e de luta pela liberdade.
17 de Setembro de 2021
Amílcar Lopes Cabral
#nestedia relembra pessoas e acontecimentos de resistência à ditadura e de luta pela liberdade.
12 de Setembro de 2021
Revolta dos Marinheiros de 1936
#nestedia relembra pessoas e acontecimentos de resistência à ditadura e de luta pela liberdade.
8 de Setembro de 2021