Antenor da Costa Cruz

Antenor da Costa Cruz nasceu no dia 5 de outubro de 1900, em Leça da Palmeira, Matosinhos.

Emigrante em Paris, trabalhou como funcionário da sucursal do Banco Nacional Ultramarino. Uns anos mais tarde, partiu para a Madeira, trabalhando como comerciante, enquanto desenvolveu atividade política no Partido Comunista Português.

Em 1932, tornou-se responsável do Comité Regional do PCP na Madeira. Em 20 de agosto de 1936, foi preso “para averiguações”, recolhendo aos calabouços da PSP do Funchal. Em junho de 1937, é transferido para a Fortaleza de Peniche e depois para o Reduto Norte de Caxias. Em 17 de fevereiro de 1938, foi transferido para a Cadeia do Aljube, sendo condenado a 23 meses de prisão correcional pelo Tribunal Militar Especial (descontado os 544 dias de prisão sofrida, fica reduzida a 146 dias), saindo em liberdade em julho de 1938.

Após regressar à Madeira, voltou a integrar o Comité Regional o PCP e intervém na criação do Movimento de Unidade Democrática (MUD).

A PIDE voltou a prendê-lo no Funchal, em maio de 1948, no âmbito da prisão de cerca de 70 militantes do PCP, “para averiguações sobre atividades subversivas.”

Uma semana depois, entrou no Hospital da Misericórdia do Funchal, onde acabou por falecer #nestedia 27 de maio de 1948, vítima de tortura durante os interrogatórios. Tinha 47 anos.