Notícias

Livros no Aljube – Padre Nuno Xico Nuno

9 de Julho de 2019

Que se aprende com este livro? E com todos os outros que nos falam de um tempo represado e pronto a desatar em cascatas soltas e em convulsão?
Bom, que estavam já maduros os frutos e que não tardavam a mudar os tempos. Padre Nuno, o sacerdote empenhado – e depois Xico Nuno, o cidadão – foi fio de água de um caudal que espraiou em Abril.
Não, o regime salazarista/caetanista não caiu porque estava podre. Caiu porque o derrubaram. Coube aos militares de Abril a última estocada, mas o caudal de mudança, esse estava na rua, nas fábricas, nas escolas ou no coração e nas mãos de homens como Padre Nuno.
Isto se aprende na vida e obra de Xico Nuno, que este livro abriu às memórias de quem com ele trabalhou e partilhou esse desejo de mudança. 
O Aljube enriqueceu-se com a partilha dessas memórias de luta de dezenas de companheiros e companheiras de Xico Nuno.