«O Diabo foi meu Padeiro», de Mário Lúcio Sousa

9 de Outubro de 2020 - 18h30
Auditório Museu do Aljube

“_Morriam-nos, para não nos matarem, este era o segredo,

Afirmou: Se nos matassem, a culpa seria deles; se nos deixássemos morrer, o ónus seria levianamente nosso”.

Mário Lúcio Sousa, O diabo foi meu padeiro, D. Quixote (2019).

No próximo dia 9 de outubro, às 18h30, receberemos no Museu do Aljube Resistência e Liberdade o escritor cabo-verdiano Mário Lúcio Sousa para uma conversa à volta do seu romance “O Diabo foi meu Padeiro”.

Este seu livro aborda de forma muito crua e urgente a resistência dos presos políticos enviados para o Campo de Concentração do Tarrafal a partir de 1936, a sua memória e a das gentes de Chão Bom que viveram e conviveram de muito perto a experiência tenebrosa deste campo de morte lenta.

Mário Lúcio Sousa é um dos autores mais inovadores  da sua geração, e da literatura escrita em português. Nascido em Cabo Verde, no Tarrafal, em 1964, licenciado em Direito pela Universidade de Havana, foi Ministro da Cultura do seu país, no mandato iniciado em 2011, e um autor de vastos e plurais recursos, com diversos títulos publicados, entre poesia, teatro e romance, contando já no seu currículo com os Prémios Literários Carlos de Oliveira e Miguel Torga e o Prémio do P.E.N. Clube.

Uma conversa com a participação do autor, Mário Lúcio Sousa e, da editora Maria do Rosário Pedreira, seguido de um momento musical.

A sessão também poderá ser acompanhada em direto na página de Facebook do @museudoaljube.

Devido à pandemia, a lotação presencial é limitada. A entrada é gratuita, mediante inscrição obrigatória para:
info@museudoaljube.pt

Outros eventos

Teatro – Amores na Clandestinidade [Online]
Este trabalho de teatro documental analisa as relações afetivas e familiares através de entrevistas feitas às pessoas que participaram na luta antifascista em Portugal, assim como aos seus filhos que cresceram acompanhando os seus pais e, muitas vezes, na ausência destes. Espectáculo Gratuito, gravado no Museu do Aljube. Transmissão Online. Inscrições obrigatórias.
16 a 21 de Abril de 2021
Coragem Hoje, Abraços Amanhã
Venha connosco celebrar o mês de abril! Inscrições para as atividades obrigatórias, mediante os limites impostos pelas medidas da DGS.
8 a 30 de Abril de 2021
Há 50 anos: Julgamento de Joaquim Pinto de Andrade, nacionalista angolano – Conversa Online
No ano em que se assinala os 50 anos do julgamento de Joaquim Pinto de Andrade, o Museu do Aljube Resistência e Liberdade junta-se a Diana Andringa, Ferreira Fernandes, Mário Brochado Coelho, Adolfo Maria e Ondjaki, para uma conversa que será transmitida online, dia 30 de março às 15h.
30 de Março de 2021 - 15h00
Visita Orientada Mensal
SESSÃO ADIADA
30 de Janeiro de 2021 - 10h00