Books in the Aljube – A Life with History: Cláudio Torres [Uma Vida com História: Cláudio Torres]

03 December 2019

Livros no AljubeUma Vida com História Cláudio TorresPodia ter escolhido Mértola, ou podia ter optado por falar sobre a sua história nova do Al-Andaluz. Tinha tanto para falar sobre a sua obra!Mas não quis. Cláudio Torres escolheu a sua ligação àquelas paredes do Aljube onde, muito jovem, foi visitar o seu pai, preso. E daí partiu para o Porto, onde ele próprio esteve encarcerado, foi torturado e viveu meses a ver passar o que se via daqueles postigos ao rés do chão: as pernas das pessoas que passavam, e de que se imaginava o resto, porque não se conseguia ver mais do que isso.Mas, ao invés do que seria de esperar, ignorou o discurso da vítima e esqueceu os pés inchados e os sapatos que lhe rebentaram com o peso de ser «estátua» em interrogatório. Não quis saber disso: pensou antes em como se tornou forte para resistir. E contou que chegou a ditar regras, mesmo servindo de «estátua» para «dar trabalho» aos 60 pides que ali conheceu. Depois Marrocos, para onde fugiu numa aventura de filme. «Sabem o que é andar às «piriscas» e levá-las para casa, para tirar o tabaco e fazer novos cigarros?» – perguntou. Manuela, a mulher, presente, confessou-se surpreendida com este relato, mais ou menos irónico de Cláudio: «Então e eu, que estive presa em Caxias apenas só porque vivia contigo?»#livrosnoaljube #semmemórianãoháfuturo #aljube

Publiée par Museu do Aljube Resistência e Liberdade sur Mardi 3 décembre 2019

He could have chosen Mértola, or he could have chosen to talk about his new history of Al-Andaluz. I had so much to talk about his work! But he didn’t. Claúdio Torres chose his connection to the Aljube where, in a young age, he went to visit his arrested father.

But, contrary to what one might expect, he ignored the victim’s speech and forgot his swollen feet and shoes that burst with the weight of being a “statue”.

He didn’t want to know that: he thought of how he had become strong to resist. He said that he even dictated rules, even serving as a “statue” to “work” the 60 PIDE agents he met there.

Atualidade

Aljube Museum Resistance and Freedom – New Direction
Aljube Museum Resistance and Freedom - New Direction
8 of July of 2020
Aljube Museum Resistance and Freedom reopens to the Public
Aljube Museum Resistance and Freedom reopens to the Public: May 18th, International Museum Day, Open from Tuesday to Sunday, from 11 am to 5 pm, with free admission until May 31st,
15 of May of 2020
Book – «Meninos que não foram crianças – Filhos de clandestinos»
Book - «Meninos que não foram crianças – Filhos de clandestinos» For more information on how to purchase: info@museudoaljube.pt Only in portuguese.
27 of March of 2020