Neoliberalismo como gestão do sofrimento psíquico

Apresentação do livro “Neoliberalismo como gestão do sofrimento psíquico”

26 de Setembro de 2023 - 18h00
AUDITÓRIO DO MUSEU DO ALJUBE

O Museu do Aljube Resistência e Liberdade recebe no próximo dia 26 de setembro a apresentação da edição portuguesa do livro Neoliberalismo como gestão do sofrimento psíquico.


Grande sucesso editorial no Brasil e finalista do prémio Jabuti de 2022, o livro tem autoria coletiva e organização do filósofo Vladimir Safatle junto ao psicanalista Christian Dunker e ao pesquisador Nelson da Silva Júnior. O título é o terceiro anunciado para o catálogo da Daruê Editorial, novo selo da editora Urutau, que nasce com foco em publicação de pensamento crítico no território português.

Publicado no Brasil pela editora Autêntica, com cerca de 50 mil cópias vendidas, o livro chega em agosto a Portugal pelas mãos da Daruê com o objetivo de fomentar o debate para como o modo de produção neoliberal construiu uma nova forma de sofrimento que se entranhou em nossas vidas ao modo de uma moralidade indiscutível.

A obra funciona como antídoto e resposta aos manuais de gerenciamento e motivação, às narrativas de sucesso e coaching, bem como aos discursos que produzem sujeitos estruturados como uma empresa, e verifica as consequências de um conjunto de práticas da contemporaneidade, entre elas a individualização da culpa, o repúdio ao fracasso depressivo, o louvor maníaco do mérito, entre tantas outras que partem do estabelecimento deste sistema de mal-estar próprio do projeto neo-liberal.

Sobre a obra

Estamos em 2023, e, ainda que com resistência, o neoliberalismo estabeleceu-se inquestionavelmente enquanto projeto político global. A implementação da austeridade fiscal e da redução calculada do estado disseminou-se mundialmente, desde Margaret Thatcher até Ronald Reagan. Esta doutrina fundamenta-se na grande experiência chilena do ditador Augusto Pinochet, que levou a cabo a empresarialização de todos os setores sociais do País, incluindo a cultura, as universidades e os fundos de pensão associados às políticas ecológica e militar.
Para que se compreenda melhor o desenvolvimento deste Neoliberalismo de hoje, é necessário construir uma arqueologia do sujeito moral na economia a partir dos ideólogos da base da teoria liberal, que cimentaram o solo para as circunstâncias atuais.


d a r u ê
Este livro é uma síntese da produção de investigação do Laboratório de Teoria Social, Filosofia e Psicanálise da Universidade de São Paulo (USP), e pretende fornecer uma base desta componente teórica liberal através de uma história do problema, que vai da escola austríaca às transformações da Escola de Chicago para, assim, dar conta de que maneira o projeto neoliberal cria e fixa socialmente (e com eficiência) uma nova política para o sofrimento psíquico, manipulando a degradação da saúde mental como uma astuta forma de sujeição social.


Sobre os organizadores

Christian Dunker
Psicanalista, professor titular em Psicanálise e Psicopatologia no Instituto de Psicologia da USP. Analista membro da Escola dos Fóruns do Campo Lacaniano, duas vezes agraciado com o Prémio Jabuti, youtuber e articulista da Boitempo e da UOL-Tilt. Coordena o Latesfip.


Nelson da Silva Jr.
Psicanalista, doutor pela Universidade Paris vii, professor titular do Instituto de Psicologia da USP. Membro do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae e coordenador do Latesfip. Pesquisa sobre as interfaces entre Literatura e Psicanálise. Publicou, entre outros: Fernando Pessoa e Freud: diálogos inquietantes (Blucher, 2019).

Vladimir Safatle
Psicanalista, doutor em filosofia pela Universidade de Paris 8. Professor Titular do departamento de Filosofia da USP. Professor-visitante das universidades de Paris 1, Paris 7, Paris 8, Paris 10, Essex, Toulouse, entre outros. Coordenador da tradução em português da obra de Theodore Adorno. Coordenador do Latesfip.

Evento com entrada livre. Sujeita à lotação da sala.

Outros eventos

«Duas peças em Estado Novo»
De Armando Nascimento Rosa e Susannah Finzi Encenação e curadoria de Clara Ploux e Telmo FerreiraDuração: 90 min 18 OUT – SEX, 19H 19 OUT – SÁB, 16H 20 OUT – DOM, 16H
18 a 20 de Outubro de 2024
Ler e ouvir a Revolução: literatura e música no 25 de Abril
As sessões de leitura pública e interpretação musical cruzam literatura e música do período revolucionário, partindo da produção artística portuguesa de 1974 e seguintes anos.
17 de Setembro de 2024 - 18h00
Sombras Andantes
Sombras Andantes é um espetáculo de André Murraças sobre a relação do Estado Novo com os homossexuais.
21 a 23 de Junho de 2024
ABRIL MATER: maternidade e parto antes e depois da Revolução
ABRIL MATER é um projeto que pretende explorar a relação entre as mudanças sociais e políticas trazidas pela Revolução de 1974 e as transformações ocorridas no campo da maternidade e do parto em Portugal.
19 de Junho de 2024 - 18h00