Cartas do mau encontro

08 de Fevereiro a 12 de Junho de 2022
PISO -1 E MUSEU DO ALJUBE

“Cartões de visita, álbuns, postais, cartazes. Instrumentos imagéticos que tornaram a fotografia em uma ferramenta muito operativa para a propaganda colonial, criando, por um lado, a visualidade dos símbolos do progresso europeu, e por outro, desenhando as colónias como lugares exóticos. Os mapas serviram a política colonial e, em alguns casos, foram reivindicações de posse antes mesmo dos territórios neles representados serem efetivamente ocupados. Serviram para o ministério das colónias dividir, invadir, organizar e tentar controlar cultural e economicamente o Outro, o suposto selvagem primitivo. Os mapas, como uma forma de saber, mas sobretudo como instrumentos de poder, como nos recordava Foucault entre outros, são as cartas do desejo imperialista. Sobre eles, dispõem-se fotografias que se assumem como os instrumentos visuais de um encontro – o encontro dos povos originários com os invasores das suas terras e dos seus corpos.

É hoje cada vez mais evidente, que os documentos coloniais precisam ser problematizados na sua génese, para que possa ser evidenciado o sofrimento e o confronto que envolveu tal experiência. Para além das imagens do exótico, o mau encontro foi permeado pela resistência dos povos representados nas fotografias, que, por algum motivo, estiveram nas imagens. As fotografias e mapas apresentados nesta mostra, trazem nas cores, nas linhas, no metal, nas junções, uma narrativa para despertar o olhar, os sentidos e a perceção dos processos de opressão e resistência.”

Emiliano Dantas

Outros eventos

«Duas peças em Estado Novo»
De Armando Nascimento Rosa e Susannah Finzi Encenação e curadoria de Clara Ploux e Telmo FerreiraDuração: 90 min 18 OUT – SEX, 19H 19 OUT – SÁB, 16H 20 OUT – DOM, 16H
18 a 20 de Outubro de 2024
Ler e ouvir a Revolução: literatura e música no 25 de Abril
As sessões de leitura pública e interpretação musical cruzam literatura e música do período revolucionário, partindo da produção artística portuguesa de 1974 e seguintes anos.
17 de Setembro de 2024 - 18h00
Itinerário “Adeus Pátria e Família”
Um percurso por Lisboa a lugares emblemáticos de resistência e ocupação das pessoas LGBTQIAP+, durante a ditadura e até aos dias de hoje.
28 de Junho de 2024 - 10h30
Orgulho e Liberdade
Fundado em 2017, o Alarido - Coro Feminista e LGBT canta arranjos de canções pop, para mostrar que o ativismo feminista e LGBT se pode fazer também através da música - e sempre a muitas vozes.
27 de Junho de 2024 - 19h00