Estudantes contra a ditadura – as prisões de 1964 e 1965

21 de Janeiro de 2023 - 15h00
AUDITÓRIO DO MUSEU DO ALJUBE

“Estudantes contra a ditadura – as prisões de 1964 e 1965”

Desde 1964 que se  abateu sobre a Universidade uma forte vaga repressiva levando à prisão de largas dezenas de estudantes.

Na madrugada de 21 de janeiro de 1965 foram presos pela PIDE dezenas de estudantes, na maioria universitários, mas também alguns liceais, acusados de atividades subversivas. As raparigas foram enviadas para a prisão de Caxias, os jovens foram encarcerados nos curros do Aljube, brutalmente torturados, espancados e sujeitos a privação de sono e à tortura da estátua, e depois igualmente transferidos para o reduto Sul de Caxias.  As prisões continuarão nos dias seguintes, a denúncia partira de um funcionário do PCP, responsável pelo sector estudantil de Lisboa, que passara a colaborar com a PIDE entregando centenas de estudantes.

A 22 de Janeiro, durante a sessão comemorativa do Dia da Universidade, a intervenção do reitor foi interrompida pela voz de uma mãe dizendo “Libertem o meu filho”, seguida de gritos de “Liberdade para os estudantes presos”. A 26 de janeiro de 1965, tem lugar em frente à prisão do Aljube uma manifestação exigindo a libertação dos estudantes ali presos. No exterior, familiares e outros estudantes gritavam “Liberdade para os estudantes”, “Liberdade para os presos políticos” e “Abaixo a PIDE”. A manifestação é reprimida pela Polícia de Choque e a violência policial desdobrou-se pela Baixa lisboeta.

Após estes acontecimentos, a Universidade não permaneceria igual, a batalha pela autonomia universitária era agora parte da luta maior pela mudança radical de regime e defesa das liberdades democráticas e a forte mobilização estudantil daria um contributo inestimável para o derrube da ditadura.

No próximo dia 21 de Janeiro, pelas 15h, o Museu do Aljube evocará a resistência destes estudantes, realizando uma conversa com a participação de antigos estudantes e os historiadores Luís Farinha e Luísa Tiago de Oliveira.

Outros eventos

«Duas peças em Estado Novo»
De Armando Nascimento Rosa e Susannah Finzi Encenação e curadoria de Clara Ploux e Telmo FerreiraDuração: 90 min 18 OUT – SEX, 19H 19 OUT – SÁB, 16H 20 OUT – DOM, 16H
18 a 20 de Outubro de 2024
Ler e ouvir a Revolução: literatura e música no 25 de Abril
As sessões de leitura pública e interpretação musical cruzam literatura e música do período revolucionário, partindo da produção artística portuguesa de 1974 e seguintes anos.
17 de Setembro de 2024 - 18h00
II Congresso de História Pública em Portugal
O objetivo do II Congresso de História Pública em Portugal: Usos do Passado nos 50 Anos da Revolução dos Cravos é analisar a evolução dos usos do passado desde 1974, destacando o que se oculta e desoculta na esfera pública.
6 a 7 de Junho de 2024
Universidade sem Exames
O grupo Universidade sem Exames resolveu tomar a iniciativa de criar um programa de ensino não académico, inicialmente com filosofia e economia (em Outubro haverá História), no sentido de dar alguns instrumentos de conhecimento e pensamento crítico, necessários a todos nós, neste momento de panorama político tão complexo.
31 de Maio de 2024 - 15h00