Helena Neves, photograph from the PIDE’s archive, April 18, 1974. Torre do Tombo National Archive.

Helena Neves

13 de Março de 2019 - 16h00
Helena Neves, fotografia do arquivo da PIDE, 18 abril 1974. Arquivo Nacional Torre do Tombo.

Uma estudante que aderiu ao Partido Comunista ainda no Liceu D. João de Castro, aos 17 anos. Foi suspensa enquanto estudante da Faculdade de Letras pelo destaque que teve na luta académica dos anos que antecederam a Revolução de Abril.
Integrou o grupo fundador do Movimento Democrático de Mulheres (MDM) e conheceu a primeira prisão pela PIDE em 1969, quando tinha sido indigitada pelo MDP/CDE como candidata a deputada pelo círculo de Santarém. Voltou a ser presa nos primeiros dias de abril de 1974 e por isso sentiu a alegria maior dos presos – a de ser resgatada pelos libertadores da Revolução de Abril.

Conversa conduzida por Ana Aranha.

Com a presença de alunos do Ensino Secundário e da comunidade.

Outros eventos

Com Garras e Dentes – Fábulas de Animais Livres e Resistentes
Nas segundas manhãs de domingo de cada mês, programação para os mais novos e famílias, fiquem atentos! Duração: 50 minutos Inscrições: inscricoes@museudoaljube.pt Sujeito a lotação do espaço
16 de Maio de 2021 - 11h00
Ciclo de Cinema
Programação paralela à Exposição Temporária • Mulheres e Resistência – Novas Cartas Portuguesas e outras lutas Pré-inscrição obrigatória: inscricoes@museudoaljube.pt Entrada livre, sujeita à lotação da sala
13 de Maio de 2021 - 19h00
Inauguração Exposição Temporária – Mulheres e Resistência – Novas Cartas Portuguesas e outras lutas
A partir das 12h poderá visitar a nova exposição temporária patente no piso 0 do museu, antigo parlatório da cadeia do Aljube.
6 de Maio de 2021 - 12h00
Teatro – Rascunhos: Memórias de uma Falsificadora
Joaquim Horta adapta ao teatro o livro de Margarida Tengarrinha Memórias de Uma Falsificadora – A Luta na Clandestinidade pela Liberdad em Portugal, que conta como a autora usou a sua habilidade de artista plástica e estudante de Belas Artes ao serviço da falsificação de documentos, garantindo o trabalho dos resistentes à ditadura de Salazar. Espectáculo esgotado
26 a 30 de Abril de 2021