«Projectar a ordem – Cinema do Povo e propaganda salazarista», de Maria do Carmo Piçarra

10 de Dezembro de 2020 - 18h00
Auditório do Museu do Aljube

«Projectar a ordem — Cinema do Povo e propaganda salazarista», de Maria do Carmo Piçarra, é uma investigação sobre o Cinema do Povo (1935-1954) do SPN/SNI, cinema ambulante que percorreu o país para combater o comunismo e promover o corporativismo e o Estado Novo. Lançado, em 1935, em Lisboa, onde encheu de público as praças da cidade, iniciou a itinerância após o começo da Guerra Civil em Espanha.

Como na Alemanha nazi, camiões deslocavam-se às aldeias recônditas, sem electricidade, onde raramente ou nunca se tinha visto uma projecção de cinema. Ao ar livre, mostravam a milhares de camponeses e operários, propaganda filmada complementada por doutrinação.

A revolução de Maio foi a longa-metragem de redenção privilegiada. Explicada por Legionários, dirigentes da União Nacional, padres ou responsáveis pelas Casas do Povo, projectou, no país rural e analfabeto, a imagem do Estado Novo concebida por António Ferro.

A apresentação do livro será feita pela realizadora e professora universitária Susana de Sousa Dias.

As inscrições são obrigatórias e limitadas aos lugares existentes no auditório.

Outros eventos

Apresentação livro “Não se deixem enganar!”
Uma homenagem à geração de pais e mães nascidos nos anos 30 do século XX que, sem procurarem um lugar na história, protagonismo político ou de qualquer outra espécie, nunca se resignaram, arriscaram a vida, passaram pela prisão, exilaram-se e foram perseguidos para que nós possamos viver hoje num país melhor. 
25 de Fevereiro de 2023 - 15h00
Visita o Aljube!
A Visita Orientada do mês de fevereiro à exposição longa duração do Museu do Aljube Resistência e Liberdade.
25 de Fevereiro de 2023 - 10h30
Visita o Aljube!
A Visita Orientada do mês de Janeiro à exposição longa duração do Museu do Aljube Resistência e Liberdade.
28 de Janeiro de 2023 - 10h30
Estudantes contra a ditadura – as prisões de 1964 e 1965
No próximo dia 21 de Janeiro, pelas 15h, o Museu do Aljube evocará a resistência destes estudantes, realizando uma conversa com a participação de antigos estudantes e os historiadores Luís Farinha e Luísa Tiago de Oliveira.
21 de Janeiro de 2023 - 15h00