Hilda de Paulo em “O que vem depois da esperança?” © Carlos Campos

Notas sobre a palestra-performance-oficina “O que vem depois da esperança?”

12 de Novembro de 2022 - 15h00
AUDITÓRIO DO MUSEU DO ALJUBE

A artista Hilda de Paulo propõe uma “conversa sobre a palestra-performance-oficina “O Que Vem Depois da Esperança?” e uma reflexão sobre como as corpas das pessoas fora da norma imposta de sexo-gênero-desejo foram construídas e representadas midiaticamente através dos tempos no imaginário de Portugal.”


Hilda de Paulo (Inhumas-GO, Brasil, 1987) é artista e curadora, travesti terceiro-mundista defensora do transfeminismo como metodologicamente decolonial e autora do projeto Arquivo Gis, membra fundadora da Cia. Excessos e da eRevista Performatus, e organizadora e diretora da Mostra Performatus. Atualmente é mestranda em Artes Plásticas com percurso em Escultura na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto em Portugal, onde desenvolve a dissertação “Saberes Transfeministas como Prática de Autorrecuperação: Da Transição do Objeto à Sujeita nas Espacializações Femininas e Reelaborações de Si”. Também, nessa mesma faculdade, fez uma especialização em Práticas Artísticas Contemporâneas e, na Faculdade de Letras dessa mesma universidade, licenciou-se em História da Arte. Tem integrado exposições coletivas nacionais e internacionais, e algumas de suas obras integram permanentemente o acervo de algumas instituições, como o da Coleção Municipal de Arte da cidade do Porto (Portugal), o do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro-RJ, Brasil), o do Museu de Arte Contemporânea de Niterói (Niterói-RJ, Brasil) e o da Fundação Memorial da América Latina (São Paulo-SP, Brasil). Foi também criadora da palestra-performance-oficina “O Que Vem Depois da Esperança?” com produção do Teatro Universitário do Porto e contemplada pelo concurso anual de apoio à criação Criatório 2021 da Câmara Municipal do Porto e apresentada na mala voadora (Porto, Portugal, 2022). Participou das seguintes residências artísticas: TUP em Residência (mala voadora; CRL-Central Elétrica; Túnel, Porto, Portugal, 2021-22); Programa de Residências Despina (Rio de Janeiro-RJ, Brasil, 2019); Fjúk Arts Centre (Húsavík, Islândia, 2015-16); e Casa do Sol – Instituto Hilda Hilst (Campinas-SP, Brasil, 2014).

Participação livre, sujeita a inscrição para: inscricoes@museudoaljube.pt

Outros eventos

«Duas peças em Estado Novo»
De Armando Nascimento Rosa e Susannah Finzi Encenação e curadoria de Clara Ploux e Telmo FerreiraDuração: 90 min 18 OUT – SEX, 19H 19 OUT – SÁB, 16H 20 OUT – DOM, 16H
18 a 20 de Outubro de 2024
Ler e ouvir a Revolução: literatura e música no 25 de Abril
As sessões de leitura pública e interpretação musical cruzam literatura e música do período revolucionário, partindo da produção artística portuguesa de 1974 e seguintes anos.
17 de Setembro de 2024 - 18h00
Itinerário “Adeus Pátria e Família”
Um percurso por Lisboa a lugares emblemáticos de resistência e ocupação das pessoas LGBTQIAP+, durante a ditadura e até aos dias de hoje.
28 de Junho de 2024 - 10h30
Sombras Andantes
Sombras Andantes é um espetáculo de André Murraças sobre a relação do Estado Novo com os homossexuais.
21 a 23 de Junho de 2024