Marcha do Orgulho 2018. Centro Documentação Gonçalo Diniz, ILGA – Portugal.

O que falta fazer?

12 de Janeiro de 2023 - 18h00
AUDITÓRIO DO MUSEU DO ALJUBE

“(…) conquistados os avanços legais que colocam Portugal na linha da frente, sente-se a necessidade urgente de pedagogia, de formação, de vigilância na aplicação das leis, de modo a promover ambientes – familiares, escolares, profissionais, mediáticos – em que as pessoas se sintam à-vontade para se assumirem, em que sejam explicitamente bem-vindas, em que possam queixar-se de discriminações sem medo de represálias. Em suma, temos muito, mesmo muito trabalho por fazer para assegurar o usufruto da plenitude humana por parte de quem, infelizmente, ainda cresce achando que há algo de errado em si, no seu corpo, no seu desejo, no seu afeto. Na sua humanidade. Porque o 25 de Abril foi, sim, feito para todas e todos.”

Miguel Vale de Almeida em ABRIL PARA TODAS E TODOS

“O que falta fazer?” é o tema da última conversa do ciclo em torno da exposição “Adeus Pátria e Família” com a participação de Ana Aresta (ILGA) e Paulo Corte Real, Manuela Ferreira (AMPLOS) e a confirmar CASA T.

Ana Aresta é lésbica, feminista e ativista pelos Direitos Humanos, é desde outubro de 2019 Presidente da Direção da Associação ILGA Portugal – Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual, Trans e Intersexo. A sua ligação com a ILGA Portugal começou em 2011, como voluntária Centro LGBTI, e desde 2014 que colabora ativamente na definição da sua visão comunitária, política e estratégica. Para lá do voluntariado na Associação, desenvolve a sua atividade profissional nas áreas das Ciência Políticas e Comunicação, com foco nas políticas públicas e compromissos sociais e ecológicos, gestão da reputação e comunicação de crise.

Paulo Côrte-Real é doutorado em Economia pela Harvard University, é Professor na Nova School of Business and Economics. É ativista pelos Direitos Humanos, com enfoque na Igualdade e Não-Discriminação, integrando o Grupo Técnico-Científico da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género. Tem experiência alargada de liderança na ILGA-Europe, na ILGA Portugal e na Amnistia Internacional–Portugal; de condução de formação na área da igualdade; e de intervenção pública e política, com destaque para as campanhas nacionais pela igualdade no acesso ao casamento e à parentalidade para casais do mesmo sexo. Participa atualmente na coordenação do projeto “Livro Branco sobre Discriminação Múltipla e Interseccional”.

Manuela Ferreira, Mãe AMPLOS desde 2010, sua vice presidente desde 2013 e presidente desde 2019. Abraçou a causa LGBTI, quando soube que um dos seus filhos era gay. Desde então tem trabalhado com famílias de pessoas LGBTI e tem estado envolvida na luta contra a discriminação e pela defesa dos direitos LGBTI na legislação portuguesa. O trabalho na AMPLOS levou-a a participar em diversos eventos, conferências, não só em Portugal como no estrangeiro. É desde 2017 (data da sua criação) membro da European Network of Parents of LGBTI Persons – ENP.

AMPLOS

A Associação de Mães e Pais pela Liberdade de Orientação Sexual e Identidade de Género – existe desde 2009 e é a única associação de pais de pessoas LGBTI em Portugal. A AMPLOS propõe-se desenvolver ações que fomentem o respeito pela diversidade de orientação sexual e identidade de género; programas de informação e de apoio a mães, pais e familiares de pessoas LGBTI; ações dirigidas à comunidade escolar ; ações tendentes à eliminação de obstáculos de ordem juridica que limitem a igualdade de direitos de pessoas LGBTI, sendo a mais recente a luta pela aprovação da Lei de Identidade de Género. É membro fundador da European Network of Parents of LGBTI Persons – ENP.

Outros eventos

MULHERES DO MEU PAÍS de Raquel Freire
Em Janeiro, exibimos o filme "Mulheres do Meu País" de Raquel Freire, inserido no ciclo de cinema da programação paralela da exposição “Adeus Pátria e Familia”. Um retrato plural e multiforme das mulheres que habitam o nosso país.
5 de Janeiro de 2023 - 19h00
Visita o Aljube!
A Visita Orientada do mês de Novembro à exposição longa duração do Museu do Aljube Resistência e Liberdade.
26 de Novembro de 2022 - 10h30
Lançamento do livro “Autoritarismos no Brasil: O olhar de dez realizadoras brasileiras contemporâneas”
A autora, curadora e crítica de cinema brasileira Lídia Mello, juntamente com a Editora Outro Modo/Le Monde Diplomatique/PT convidam para o lançamento do livro Autoritarismos no Brasil: O olhar de dez realizadoras brasileiras contemporâneas.
22 de Novembro de 2022 - 18h00