Coragem Hoje Abraços Amanhã

25 de Abril de 2018 - 18h00
Auditório do Museu do Aljube

Mulheres que sofreram a tortura do sono, da estátua, mas sobretudo a tortura de serem privadas da sua liberdade. Mulheres que eram avós, mães, filhas, esposas, namoradas, amantes, companheiras, camaradas. Mulheres que não são figuras históricas dentro de um livro empoeirado, mas que existiram realmente, algumas que ainda se cruzam connosco na rua e guardam duras memórias no coração.

Coragem Hoje, Abraços Amanhã é um testemunho composto a partir de entrevistas realizadas em discurso direto, que expõe o lado pessoal de vivências desumanas experienciadas por essas mulheres. Para que a memória permaneça.

Direção artística, dramaturgia, encenaçãoo e interpretação: Joana Brandão; Assistência de encenação: Elsa Galvão e Maria João Abreu; Consultoria: Irene Pimentel; Desenho de Luz: Paulo Santos; Iluminação: João Lopes; Sonoplastia: João Bucho; Cenografia: Joana Brandão; Figurino: Maria Gonzaga; Apoio: João Lopes (Iluminação), Maria Gonzaga (Guarda Roupa).

Outros eventos

Com Garras e Dentes – Fábulas de Animais Livres e Resistentes
Nas segundas manhãs de domingo de cada mês, programação para os mais novos e famílias, fiquem atentos! Duração: 50 minutos Inscrições: inscricoes@museudoaljube.pt Sujeito a lotação do espaço
16 de Maio a 14 de Novembro de 2021
Ciclo de Cinema
Programação paralela à Exposição Temporária • Mulheres e Resistência – Novas Cartas Portuguesas e outras lutas Pré-inscrição obrigatória: inscricoes@museudoaljube.pt Entrada livre, sujeita à lotação da sala
13 de Maio a 14 de Outubro de 2021
Inauguração Exposição Temporária – Mulheres e Resistência – Novas Cartas Portuguesas e outras lutas
A partir das 12h poderá visitar a nova exposição temporária patente no piso 0 do museu, antigo parlatório da cadeia do Aljube.
6 de Maio de 2021 - 12h00
Teatro – Rascunhos: Memórias de uma Falsificadora
Joaquim Horta adapta ao teatro o livro de Margarida Tengarrinha Memórias de Uma Falsificadora – A Luta na Clandestinidade pela Liberdad em Portugal, que conta como a autora usou a sua habilidade de artista plástica e estudante de Belas Artes ao serviço da falsificação de documentos, garantindo o trabalho dos resistentes à ditadura de Salazar. Espectáculo esgotado
26 a 30 de Abril de 2021