2014. Ocupação da TSF: “dar novas palavras à rádio”

21 de Maio de 2024 - 18h00
AUDITÓRIO DO MUSEU DO ALJUBE

Na véspera do quadragésimo aniversário da revolução dos cravos, um grupo de manifestantes liderados pelo Teatro O BANDO ocupa misteriosamente a TSF. Objectivo: tomar a palavra.

Dez anos depois, nas 50 voltas ao mundo da democracia portuguesa – e coincidindo com o meio século de vida d’O BANDO – recuperamos a emissão e escutamos como este gesto teatral ocupou a antena de uma das casas “onde as palavras se fazem ao vento”. E fazemos a pergunta urgente: como é possível ocupar uma rádio hoje?

A invasão pacífica e simbólica dura cerca de uma hora. Em directo, durante a manhã, os jornalistas de serviço tentam relatar a ocupação da sua própria redacção. A emissão nunca é interrompida:

Paula Dias, jornalista da TSF: “O que já sabemos é que os manifestantes têm livros nas mãos, também a Constituição Portuguesa, e dizem que…”

(…)

Manifestante 1: “Nós estamos aqui porque isto é uma rádio e a rádio é a casa das palavras. Nós queremos dar novas palavras à rádio.”
Manifestante 2: “Democracia? O que é que diz aqui no dicionário? Democracia. Atenção: eu vou ler!”
Manifestante 3: “Eu quero a utopia hoje! Agora! Esta Europa não é a minha Europa. A minha Europa também chora!”

—–

Com João Brites, Fernando Alves e André Cunha.

Terceira sessão da extensão portuguesa do ciclo “25 de Abril, sempre no ar” – uma programação radiofónica lançada em Brest, no Longueur d’ondes, um dos maiores festivais de rádio do mundo. Com estas sessões de escuta sintonizámos Abril em Maio no auditório do Museu do Aljube – Liberdade e Resistência.

Outros eventos

«Duas peças em Estado Novo»
De Armando Nascimento Rosa e Susannah Finzi Encenação e curadoria de Clara Ploux e Telmo FerreiraDuração: 90 min 18 OUT – SEX, 19H 19 OUT – SÁB, 16H 20 OUT – DOM, 16H
18 a 20 de Outubro de 2024
Ler e ouvir a Revolução: literatura e música no 25 de Abril
As sessões de leitura pública e interpretação musical cruzam literatura e música do período revolucionário, partindo da produção artística portuguesa de 1974 e seguintes anos.
17 de Setembro de 2024 - 18h00
II Congresso de História Pública em Portugal
O objetivo do II Congresso de História Pública em Portugal: Usos do Passado nos 50 Anos da Revolução dos Cravos é analisar a evolução dos usos do passado desde 1974, destacando o que se oculta e desoculta na esfera pública.
6 a 7 de Junho de 2024
Universidade sem Exames
O grupo Universidade sem Exames resolveu tomar a iniciativa de criar um programa de ensino não académico, inicialmente com filosofia e economia (em Outubro haverá História), no sentido de dar alguns instrumentos de conhecimento e pensamento crítico, necessários a todos nós, neste momento de panorama político tão complexo.
31 de Maio de 2024 - 15h00