25 de Abril de 1974: um memorável Atelier de Criação Radiofónica

14 de Maio de 2024 - 18h00
AUDITÓRIO DO MUSEU DO ALJUBE

“Magnus Opus”, chamou-lhe Adelino Gomes na sessão realizada em Brest, no festival Longueur d’ondes. Um dos repórteres de Abril é ele próprio uma das múltiplas personagens do caleidoscópio geopoético construído por René Farabet para uma emissão da France Culture emitida originalmente em FM, em 1975, e recuperada recentemente em linha, na era do podcast. Esta escultura sonora do 25 de Abril está agora “sempre no ar”. É uma das mais belas evocações radiofónicas do dia inicial. Talvez a mais bela.

Iniciada, vivida e amplificada na rádio, a revolução chamaria a Lisboa e ao Alentejo aquele que viria a ser um dos grandes criadores radiofónicos contemporâneos. À boleia da actriz Teresa Mota e do dramaturgo Richard Demarcy, René Farabet visita o país dos cravos nos meses de brasa e realiza, com os dois cúmplices de viagem, “Grândola Portugal” – uma emissão de duas horas para o Atelier de Création Radiophonique.

Adelino Gomes e René Farabet, um jornalista e um artista, são dois nomes inscritos na História da rádio deste meio século. Mereciam-no muito, mas nunca se conheceram. Sonhamos com esse encontro e damos carta branca a Adelino para acrescentar alguns sons em diálogo com a fita do tempo desenrolada por René, Teresa e Richard.

Nesta sessão, tal como em Brest, sintonizamos fragmentos de “Grândola Portugal” a partir do podcast em linha na France Culture, com atenção especial à reconstituição que o criador francês faz da reportagem radiofónica [1] de Pedro Laranjeira, Paulo Coelho e Adelino Gomes que ficou na memória de muitos ouvintes como a bandeira sonora do dia mais feliz da vida de quem o viveu e de quem só o pode imaginar, através da rádio.

Com Adelino Gomes e André Cunha.

Segunda sessão de escuta da extensão portuguesa do ciclo “25 de Abril, sempre no ar” – uma programação radiofónica lançada em Brest, no Longueur d’ondes, um dos maiores festivais de rádio do mundo, e que sintoniza Abril em Maio no Museu do Aljube – Liberdade e Resistência.

PRÓXIMA SESSÃO
21 MAI – TER, 18H
Abril de 2014. Ocupação da TSF: “dar novas palavras à rádio”

[1]     Pedro Laranjeira e Paulo Coelho, ambos do programa “Limite” (que horas antes transmitira a segunda senha), deslocaram-se para o Terreiro do Paço na manhã de 25 de Abril, tendo partilhado o microfone – depois de um encontro fortuito – com Adelino Gomes, que estava impedido de trabalhar na Rádio Renascença desde o final do verão de 1972.

Outros eventos

«Duas peças em Estado Novo»
De Armando Nascimento Rosa e Susannah Finzi Encenação e curadoria de Clara Ploux e Telmo FerreiraDuração: 90 min 18 OUT – SEX, 19H 19 OUT – SÁB, 16H 20 OUT – DOM, 16H
18 a 20 de Outubro de 2024
Ler e ouvir a Revolução: literatura e música no 25 de Abril
As sessões de leitura pública e interpretação musical cruzam literatura e música do período revolucionário, partindo da produção artística portuguesa de 1974 e seguintes anos.
17 de Setembro de 2024 - 18h00
II Congresso de História Pública em Portugal
O objetivo do II Congresso de História Pública em Portugal: Usos do Passado nos 50 Anos da Revolução dos Cravos é analisar a evolução dos usos do passado desde 1974, destacando o que se oculta e desoculta na esfera pública.
6 a 7 de Junho de 2024
Universidade sem Exames
O grupo Universidade sem Exames resolveu tomar a iniciativa de criar um programa de ensino não académico, inicialmente com filosofia e economia (em Outubro haverá História), no sentido de dar alguns instrumentos de conhecimento e pensamento crítico, necessários a todos nós, neste momento de panorama político tão complexo.
31 de Maio de 2024 - 15h00