ATO (DES)COLONIAL

20 de Janeiro a 12 de Junho de 2022

A violência está na génese, na prática e na simbologia de um processo de ocupação. Mas a violência encontra resistência, com diferentes expressões e impactos. Esta exposição pretende revelar e relevar diversos processos de resistência ao colonialismo português entre 1926 e 1974, período objeto deste museu.

A exposição ATO (DES)COLONIAL pretende contribuir para o questionamento da herança colonial no nosso país, em particular durante o período da ditadura, e para a valorização das experiências de resistência anticolonial enquanto processos determinantes para a autodeterminação e independência dos povos africanos, mas igualmente essenciais para o derrube do fascismo em Portugal.

ATO (DES)COLONIAL convida-nos a pensar sobre abordagens necessárias a uma prática antirracista, nas escolas, nos espaços públicos de cultura e na sociedade.

Que este ATO (DES)COLONIAL seja mais um, entre outros, e que gere mais pensamento e ação anticolonial e antirracista, abolicionista de todas as formas de violência.

Esta exposição temporária terá um ciclo de programação paralela que incluirá ciclo de cinema, conversas e visitas orientadas.

TER – DOM
10H – 18H
ENTRADA LIVRE

Programação pararela

FILME: “Alcindo” de Miguel Dores
Um filme que integra o ciclo de cinema da programação paralela da exposição ATO (DES)COLONIAL.
26 de Maio de 2022 - 19h00
FILME “Olhares sobre o Racismo”
No dia 21 de março comemoramos o dia internacional contra a discriminação racial com uma sessão de cinema e conversa integrada na programação paralela da exposição ATO (DES)COLONIAL.
21 de Março de 2022 - 18h30
FILME: “Palimpseste du Musée d’Afrique” de Matthias De Groof
Nesta sessão de cinema da programação paralela da exposição ATO (DES)COLONIAL iremos exibir o documentário "Palimpseste du Musée d’Afrique" e a curta-metragem "Under the white mask" do realizador Matthias De Groof.
17 de Fevereiro de 2022 - 19h00