Centro de Documentação

Biografias

Raul Alves

Raul Alves

(Vialonga, Vila Franca De Xira, 09-03-1914, – Lisboa, 31-7-1958)

Raul Alves, filho de José Alves e Mariana da Assunção, nasceu a 9 de março de 1914 em Vialonga, Vila Franca De Xira. Militante do Partido Comunista Português (PCP), era operário soldador da Companhia Industrial Portuguesa, em cujo bairro vivia na Póvoa de Santa Iria.

Raul Alves é detido a 16 de julho de 1958 por atividades subversivas, na sequência da greve e manifestações promovidas pelos trabalhadores da Companhia Industrial Portuguesa contra a burla eleitoral no mês anterior. É levado para a Prisão de Caxias e seguirá, a 25 de julho, para a Prisão do Aljube para a fase de interrogatório. É durante este período que será assassinado com 44 anos.

No dia 31 de julho, após ter sido torturado, Raul Alves é lançado do 3° andar da sede da Polícia Internacional e de Defesa do Estado (PIDE) na rua António Maria Cardoso por agentes daquela polícia. À imagem de outros casos, a PIDE afirmará ter-se tratado de um suicídio e, segundo a versão de alguns dos seus agentes e funcionários, fora o desespero a levar Raul Alves a lançar-se pela janela do terceiro andar.

Porém, várias pessoas terão visto um homem pendurado na parte de fora de uma das janelas do edifício que, entre gritos lancinantes, acabou por cair. Uma das testemunhas foi a mulher do embaixador do Brasil, Álvaro Lins, que denunciou o assassinato ao cardeal-patriarca de Lisboa, Manuel Gonçalves Cerejeira. Dias depois o Ministério do Interior ter-lhe-á comunicado: “Não há motivo para ficar tão impressionada. Trata-se apenas de um comunista sem importância”.

Centro de Documentação do Museu do Aljube
Rua Augusto Rosa, 42 • 1100-059 Lisboa

Telefone: 215 818 538
Geral: 215 818 535
E-mail: odeteviola@egeac.pt

Horário: de terça a sexta, das 10h00 às 18h00 – encerra para almoço das 13h00 às 14h00.

Encerra às segundas.